André Jolivet

André Jolivet (, , ) era um compositor francês. Sabido para sua devoção à cultura francesa e o pensamento musical, a música de Jolivet extrai em seu interesse na acústica e em atonality as.well.as influências antigas e modernas na música, particularmente nos instrumentos usados em épocas antigas. Compôs em uma variedade larga dos formulários para muitos tipos diferentes de ensembles.

Carregado dentro aos pais artísticos (um um pintor, um um pianist), Jolivet foi incentivado por eles assentar bem em um professor, indo à faculdade dos professores e à escola preliminar ensinando em Paris (que faz exame de três anos dentro no meio ao saque nas forças armadas). Entretanto, escolheu eventualmente seguir suas próprias ambições artísticas e fazê-las exame preferivelmente acima primeiramente e então composição. Estudou primeiramente com , que lhe deu aterrar firme em formulários classical da harmonia e do counterpoint. Após ter ouvido seu primeiro concert de tornou-se interessado na música atonal, e então em Le Flem a recomendação assentou bem no único estudante europeu de Edgard Varése, de que passou em seu conhecimento , música atonal, , e . Em Jolivet 1936 fundado o grupo Jeune France do la junto com compositores , Daniel Lesur e Yves Baudrier, que estava tentando re-establish um formulário mais humano e mais menos mais abstrato da composição. O jeune France do la tornou-se '' do spirale do `La da sociedade da música de câmara do avant-garde ' dado forma por Jolivet, por Messiaen, e por Lesur o ano precedente.

Os ideals aesthetic de Jolivet submeteram-se a muitas mudanças durante todo sua carreira. Seu desejo inicial como um adolescent devia escrever a música para o theatre inspirou suas primeiras composições, including a música para um ballet. , e devia ser suas influências seguintes após ter ouvido um concert de seu trabalho em 1919; compôs diversas partes do piano ao treinar para transformar-se um professor antes de ir estudar com Le Flem. Schoenberg e Varése eram fortemente evidentes em seu primeiro período da maturidade como um compositor, durante que seu estilo extraiu pesadamente upon atonality ] e idéias modernistic. Mana (1933), o começo de seu "período mágico", era um trabalho em seis porções para o piano, com cada parte nomeada após um dos seis objetos Varése à esquerda com ele antes de mover-se para os estados unidos. A intenção de Jolivet como um compositor durante todo sua carreira era "dar para trás à música seu meaning original, antigo, quando era a expressão mágica, incantatory da opinião religiosa de grupos humanos." Mana, mesmo como um de seus primeiros trabalhos maduros, é uma reflexão desta; Jolivet considerou os sculptures como objetos do fetish. Sua escrita mais adicional continua a procurar os meanings originais da música e da sua capacidade para a expressão emocional, ritual, e celebratory.

Em 1945 publicou um de papel declarando que "a música francesa verdadeira não deve nada a ", embora ambos os compositores extraíram pesadamente em cima dos temas da música antiga em seu trabalho; Jolivet e Jeune France do la neoclassicism rejeitado no favor de um estilo mais menos academic e mais espiritual da composição. Mais tarde, durante , Jolivet deslocou afastado do atonality e para mais tonal e estilo lyrical da composição. Após alguns anos de trabalhar neste estilo mais simplistic, durante que a hora escreveu a ópera comic Dolorès, laide do femme do la de ou Le miracle de (1942) e o ballet Guignol et Pandore (1943), chegou em um acordo entre este e seu trabalho mais experimental mais adiantado. O primeiro piano Sonata, escrito em 1945, mostra elementos de ambos estes estilos.

Finalmente realizando sua ambição jovem para escrever para o theatre, Jolivet assentou bem no diretor musical do Comédie Française em 1945, um borne que prendeu até 1959. Quando lá compôs para jogos perto , , , Shakespeare e , que marca 14 trabalhos no total. Continuou também a compôr para o salão de concert, inspirado frequentemente por seus cursos freqüentes em torno do mundo, adaptando textos e música de Egipto, de o Oriente Médio, de África e de Ásia em seu estilo distintamente francês.

Durante os 1950s e os 1960s, Jolivet escreveu diversos para uma variedade dos instrumentos including , , , , , , , e . Estes trabalhos, quando considerados altamente, todos exigem a habilidade técnica virtuosic dos performers. Jolivet é também um de poucos compositores a escrever para , um instrumento eletrônico adiantado, terminando um concerto para ele em 1947, 19 anos após a invenção do instrumento. Jolivet fundou Musical do d'Humanisme de Français do centro em em 1959, e em 1961 foi ensinar a composição no Conservatório De Paris. Morreu dentro , deixando unfinished sua ópera Inconnu de Le soldat.

Trabalhos selecionados

  • Música de câmara:
12 Invenções para o quintet do vento, a trombeta, o trombone, e o quintet da corda
2 Sonatas para o piano (, )
Andante e adagio para cordas
Chant de Linos, para a flauta, o violino, a viola, o cello, e o harp ()
Rituelles de Cinq Danses ()
Incantations de Cinq, para a flauta ()
Cosmogonie
Cérémonial, homage a Varèse para seis instrumentos de percussão
L'univers do à de Hymne
Mana, seis partes para o piano ()
Mandala, órgão
Pastorales de Noël, para a flauta, o bassoon, e o harp ()
Quartet Da Corda ()
Sept do à de Rhapsodie, para sete ventos e cordas
Sérénade, para duas guitarras (dedicadas ao duo de Ida Presti e )
Sonata para a flauta
Sonatine para a flauta e o piano ()
Sonatine para a flauta e o cello
Sonatine para o oboe e o bassoon
Suite Delphique, para 12 instrumentos
Concert do en do suite para a flauta e os quatro instrumentos de percussão
Concert do en do suite para o cello ()
  • Concertos:
2 Concertos Do Cello (, )
Concerto para a trombeta, as cordas, e o piano ()
Concerto para o bassoon, as cordas, o harp, e o piano ()
Concerto para a flauta e as cordas ()
Concerto para a flauta e a percussão ()
Concerto para o harp e o orchestra de câmara ()
Concerto para Ondes Martenot e orchestra ()
Concerto para o piano
Concerto para a trombeta ()
  • Música orchestral:
3 Symphonies (, , )
Rituelles de Cinq Danses (versão orchestral, )
Cosmogonie (versão orchestral, )
Incantatoire de Danse ()
Delphique do suite, para cordas, harp, Ondes Martenot, e percussão ()
Symphony para cordas ()
  • Música vocal:
Canções
Les Trois Complaintes du soldat, para a voz e o orchestra ()
Poèmes derrama l'enfant, para a voz e os onze instrumentos ()
Rêvé do nouveau do à de Songe, concerto para o soprano e orchestra
Liturgique do suite derrame a voz, o oboe, o cello, e o harp ()
Épithalame, para o choir 12-part ()
  • Música sacred:
Vérité de Jean do la, oratorio
Massa Tua de Uxor
Messe derrama o paix do la de le jour de
  • Ballets:
Ariadne
Étoiles do DES do ballet
Guignol et Pandore
L'inconnue
Les Quatre Vérités
Fuzileiros navais
  • Óperas:
Antigone
Bogomil (unfinished)
Laide do femme do la de Dolorès ou Le miracle de ()

Referências

  • Kelly De Barbara: "André Jolivet". em linha, ed. L. Macy. Alcançado 28 Maio 2005. (acesso da subscrição).
  • Arthur Hoérée, Richard Langham Smith: "André Jolivet". em linha (OperaBase), ed. L. Macy. Alcançado 28 Maio 2005. (acesso da subscrição).
  • De "Web site de Jolivet do d'André dos amis Les" da associação, alcançado 16 junho 05 [ 1 ]

 

  > Português > en.wikipedia.org (Traduzido por computador no português)