Batalha de Wizna

Batalha de Wizna

Posições antes da batalha
Conflito: Guerra polonesa da defesa de 1939
Data: ,
Lugar: Wizna perto ?om?a,
Resultado: unconcluded
Combatentes
Comandantes
W?adys?aw Raginis?
Força
720 homens 42 000 homens
Víctimas
desconhecido desconhecido
: Guerra defensiva polonesa de 1939
- - M?awa - Mokra - Baía De Gda?sk - Miko?ów - Pszczyna - W?gierska Górka - Jordanów - Floresta De Tuchola - - Borowa Góra - Piotrków - Tomaszów - Ró?an - Radom - ?om?a - Wola Cyrusowa - Hel - Wizna - Gdynia - I??a - - Bzura - Jaros?aw - Modlin - Ka?uszyn - W?grów - Lwów - Kobry? - Brze?? - K?pa Oksywska - Tomaszów Lubelski - Floresta De Kampinos - Janów Lubelski, Wereszyca e Ho?osko - Krasnystaw - Grodno - Cze?niki - Krasnobród - W?adypol - Szack - Wytyczno - Parczew -

Batalha de Wizna (consultado às vezes como ao Lustrador ) foi lutado no meio e , , entre as forças de e durante os estágios iniciais de Guerra polonesa da defesa de 1939.

Índices

History

Eve da batalha

Antes da guerra a área da vila de Wizna foi preparado como uma linha de defesa fortified. Devia proteger mais mais as posições polonesas ao sul e guardar o cruzamento de e . Os 9 quilômetros da linha longa de defesas polonesas eram subordinados ao lustrador Corpo De Narew proteger ?om?a e fornecendo a defesa da aproximação do norte a Warsaw. A área fortified Wizna era um dos nós os mais importantes na área, fornecendo a tampa de ambos os cruzamentos do rio, e as estradas ?om?a-Bia?ystok e estradas para na parte traseira de forças polonesas.

Os primeiros trabalhos de construção foram começados em abril . O ponto foi escolhido com cuidado: a maioria do concreto foi construído nos montes que negligenciam um Narew swampy River Valley. Podiam ser alcançados com o assalto direto através dos swamps ou pelo ataque ao longo do causeway que conduz da ponte em Wizna. Até , , 12 foram construídos completamente. Seis deles eram bunkers concretos pesados com as cúpulas de aço reforçadas (8 toneladas do peso) quando os outros seis eram pillboxes. Os quatro bunkers pesados adicionais estavam sob a construção neste momento começado. Além, a área foi reforçada com , e . Havia também umas plantas de quebrar no e para inundar a área, mas o verão de era uma das estações as mais secas no history polonês e o nível da água era demasiado baixo.

Embora não todos os bunkers estivessem prontos pelo começo da guerra, as linhas de defesas polonesas eram well-prepared. As paredes de um bunker médio, 1.5 medidores grossos e reforçados com as placas 20-centimetre-thick de aço, podiam suportar uma batida direta de uniforme os injetores os mais pesados disponíveis ao naquele tempo. Os bunkers situated nos montes que deram a visibilidade boa de todas as forças avançando.

Primeira fase

Em , , Guerra polonesa da defesa de 1939 começado. O ó exército alemão devia avançar de para , diretamente com as posições do lustrador Corpo De Narew. Em W?adys?aw Raginis foi nomeado o comandante da área de Wizna. Como seu borne de comando ele escolheu o bunker "GG-126" perto da vila de Góra Str?kowa. O bunker foi ficado em um monte no centro exato das linhas polonesas. Suas forças numeradas aproximadamente 700 soldados e e 20 oficiais armaram-se com as 6 partes da artilharia (76mm), 24 HMGs, 18 e dois carbines anti-tank.

Após clashes iniciais na beira, Brigade Da Cavalaria De Podlaska operar-se na área foi forçado para retirar-se e sobre saiu da área. Em foram manchadas do ar e strafed com fogo do injetor de máquina dos lutadores inimigos. Mais tarde esse dia um dos bombardeiros alemães que retornam de a invasão bombardeando sobre Warsaw foi disparado para baixo pelo fogo do injetor de máquina.

Em , , as unidades do reconhecimento do 10o Divisão De Panzer do general Nicolaus von Falkenhorst capturou a vila de Wizna. Lustre squads montados do reconhecimento abandonou a vila após uma luta curta e recuou ao banco do sul de . Quando os tanques alemães tentaram cruzar a ponte, foi fundida acima por coordenadores poloneses. Após a obscuridade, as patrulhas da infantaria alemão cruzaram o rio e avançaram-no para Gie?czyn, mas foram repelido com víctimas pesadas.

Em , do corpo de XIX Panzer, foi requisitado avançar completamente Wizna para . Pela manhã adiantada de suas unidades alcançou a área de Wizna e foi juntado com a 10ns divisão de Panzer e brigade de "Lötzen" já atuais na área. Suas forças numeradas uns 1 200 oficiais e 41 000 soldados e , equipado com sobre os 350 , 108 , 58 partes de artilharia, 195 injetores anti-tank, 108 , 188, 288 injetores de máquina pesados e 689 . Completamente, suas forças eram umas 40 vezes mais fortes do que os defenders poloneses.

Segunda Fase

Na manhã adiantada os planos alemães deixaram cair que pede que os Pólos dêem acima e que reivindica que a maioria de Poland está já nas mãos alemãs e em uma resistência mais adicional é futile. A fim strengthen o morale de suas tropas, W?adys?aw Raginis jurou que não deixará seu borne vivo e que a defesa continuará. Logo em seguida que um barrage da artilharia começou. A artilharia polonesa era diversas vezes mais fraca e foi forçada logo para recuar para Bia?ystok. Após as preparações, os alemães atacaram o flanco do norte das forças polonesas. Dois pelotões que defendem diversos bunkers situados ao norte de Narew foram atacados de três lados pelos tanques de Alemão e de infantaria. Inicialmente as perdas entre a infantaria alemão eram elevadas, mas depois que o comandante pesado do fogo de artilharia tenente Kiewlicz da área de Gie?czyn do primeiro foi requisitado queimar a ponte de madeira sobre Narew e se retirar a Bia?ystok. Os restos de suas forças quebraram com o encirclement alemão e alcançaram Bia?ystok, onde juntaram as forças do general Franciszek Kleeberg.

Ao mesmo tempo um assalto na parte do sul de fortifications poloneses veio a um empate. Os bunkers poloneses faltavam o armamento anti-tank adequado, mas podiam chover a infantaria alemão com injetor de máquina ateiam fogo. Entretanto, em 6 horas na noite a infantaria foi forçada a abandonar as trincheiras e os fortifications e o recuo do campo nos bunkers. Os tanques alemães podiam finalmente cruzar as linhas polonesas e avançá-las para e . Entretanto, a infantaria alemão estava ainda sob o fogo pesado e foi fixada para baixo nos campos swampy na frente dos bunkers poloneses.

Embora Raginis fosse subordinado ao tenente.Coluna. Tadeusz Tabaczy?ski, comandante do Osowiec a área fortified encontrou algum 30 quilômetros ao norte, ele não podia esperar todos os reforços. Em ?mig?y-Rydz de Edward requisitou o 135th regiment da infantaria que constituiu as reservas de Osowiec e de Wizna, ser retirado a Warsaw. Quando a ordem era retraída e a unidade retornou a Osowiec, estava já demasiado atrasada ajudar aos Pólos isolados em Wizna.

As lutas pesadas para cada um de isol-isolated-bunkers do the-now continuaram. Diversos assaltos foram repelidos durante a noite e na manhã adiantada de . Em aproximadamente 12 horas os coordenadores do alemão com a ajuda dos tanques e da artilharia controlaram finalmente destruir tudo com exceção de dois bunkers poloneses. Ambos eles foram ficados situados no centro de Góra Str?kowa e continuaram a defesa apesar de ter muito do grupo ferido ou incapacitaram-na e a maioria dos injetores de máquina destruídos. Alega-se isso , em uma tentativa de terminar a resistência polonesa, ameaçada o comandante polonês que dispararia no POWs se restante as forças não se renderam. (nenhum cativo era tiro.) capitão W?adys?aw Raginis então requisitou seus homens abandonar o bunker e cometeu o suicide jogando-se em um grenade.

Após a batalha

Depois que a resistência polonesa terminada, o corpo de XIX Panzer avançou para e Wysokie Mazowieckie finalmente encircling e destruindo o lustrador Corpo De Narew. Mais tarde avançou uns southwards mais adicionais e fêz exame da parte no Batalha de Brze??.

Embora todos os bunkers fossem destruídos e a resistência polonesa fosse quebrada finalmente, a área fortified de Wizna controlada parar o avanço alemão por três dias. O esforço heroic de encontro às probabilidades oprimindo é hoje em dia um dos símbolos do Guerra polonesa da defesa de 1939 e é uma parte da cultura popular polonesa.

Forças opondo-se


ó Exército
von Kuechler
XIX Corpo De Panzer
Ó Divisão De Panzer
Stumpff
20o Divisão Motorised
von Wiktorin
10o Divisão De Panzer
Falkenhorst
"LötzenDo "Brigade Fortress
Offenbacher
42 000 homens, 350 , 108 , 58 partes de artilharia, 195 injetores anti-tank, 108 , 188, 288 injetores de máquina pesados e 689
Exército Polonês
Narew Iog
M?ot-Fija?kowski
Odcinek Obrony "Wizna"
Raginis
å companhia do 135th regiment da infantaria
Schmidt
ó companhia pesada do magnésio da bateria do fortress de Osowiec.
Raginis
Bateria da artilharia posicional
Brykalski
136th companhia dos coordenadores
Pelotão dos coordenadores e pelotão da artilharia de exército de campanha do 71st regiment da infantaria
Pelotão do reconhecimento montado do 135th regiment da infantaria
720 homens, 12 bunkers, 6 partes da artilharia (76mm), 24 HMGs, 18 e dois carbines anti-tank

Víctimas

As perdas polonesas exatas são desconhecidas, na maior parte porque pouco é sabido muito dos soldados que foram feitos exame PRISIONEIRO DE GUERRA pelos alemães. Estima-se que a maioria de soldados poloneses eram , com alguns 40 que retiram-se com sucesso e os 40 adicionais feitos exame PRISIONEIRO DE GUERRA. Não é certo que estes números entretanto.

As perdas alemãs não são sabidas tampouco. Em seus diários gerais suavizou o número de soldados alemães . Está absolutamente certo, entretanto, que perdeu ao menos 10 tanques e diversos outros AFVs no esforço.

Veja também:

 

  > Português > en.wikipedia.org (Traduzido por computador no português)