Hafez

Para outros meanings do "hafez", veja Hafiz (disambiguation).

Hafez, o rouxinol de Shiraz

?? ??? ???? ????? ?? ????? ? ?? ?????
??? ????? ?????? ? ????? ???????

"boast de e dançam aos versos de Hafez de Shiraz,
As belezas escuro-dark-eyed de e os turks justos de ."
--Divan de Hafez

Al-al-Din Muhammad Hafez-e Shirazi dos shams de Khwajeh (soletrado também Hafiz)?????? do (????? ???? ???? ?????? em ) era a Persa e . Foi carregado sometime entre os anos - dentro , Persia (), de algum Baha-ud-baha-ud-Din.

Seus poemas lyrical, ghazals, são anotados para sua beleza e trazem ao fruition o amor, mystical, e cedo Sufi temas que pervaded por muito tempo .

Hafez Tomb In Shiraz City, Iran
Túmulo De Hafez Dentro ,

Índices

Vida

A informação credible muito pequena é sabida sobre a vida de Hafez, particularmente sua parte adiantada - há muito um anecdote mais ou mais menos mythical. Julgando de sua poesia, deve ter tido uma instrução boa, ou para encontrar mais os meios educar-se. Os scholars concordam geralmente com o seguinte:

Seu Baha-ud-baha-ud-Din do pai é dito ter sido a que morreu quando Hafez era uma criança, deixando o e sua mãe no débito.

Parece provável que se encontrou com com Attar de Shiraz, um scholar um tanto disreputable, e transformou-se his disciple.

É dito ter-se transformado mais tarde um poeta na corte de Abu Ishak, e fama e influência assim ganhas em seu hometown. É possível que Hafez ganhou uma posição como o professor em uma escola de Qur'anic neste tempo.

Em seus 30's adiantados Mubariz Muzaffar Shiraz capturado e parece ousted Hafez de sua posição. Hafez regained aparentemente sua posição para uma extensão breve do tempo em seguida Shah Shuja fêz exame de seu prisioneiro de Mubariz Muzaffar do pai. Mas logo após, Hafez era forçado no exile self-imposed quando os rivais e os caráteres que religiosos tinha criticado começaram a slandering sobre ele. Uma outra causa possível de sua desonra pode ser vista em um caso que do amor teve com uma mulher turkish bonita, Shakh-e Nabat. Hafez fujiu de Shiraz a Isfahan e Yazd para sua própria segurança.

Na idade de 52 Hafez regained uma vez outra vez sua posição na corte, e recebeu possivelmente um invitation pessoal de Shah Shuja, que pleaded com ele para retornar. Obteve uma posição mais contínua após a morte de Shah Shuja, quando Al-al-Din Muzaffar de Shah Shuja ascended o throne por um período breve, antes de ser derrotado e matar perto Tamerlane.

Quando um homem velho, ele se encontrou com aparentemente Tamerlane para defender sua poesia de encontro às cargas de blasphemy.

Acredita-se geralmente que Hafez morreu na idade de 69. Seu túmulo é ficado situado nos jardins de Musalla de (consultado como a Hafezieh).

Tales dos povos de Hafez

Muitos tales mythical semi-semi-miraculous foram tecidos em torno de Hafez após esta morte. Três exemplos são:-

  • Diz-se que, escutando recitations do seu pai, Hafez tinha realizado a tarefa de memorizar em uma idade adiantada. Hafez é dito ao mesmo tempo ter memorizado os trabalhos de Mevlana (), Sa'di, , e Nezami.
  • De acordo com uma tradição, antes da reunião Attar, Hafez tem trabalhado em uma padaria local. Hafez entregou o pão a um quarto rico da cidade onde viu Shakh-e Nabat, alegada uma mulher da beleza grande, a quem alguns de seus poemas são dirigidos.
  • Na idade 60 é dito ter começado uns 40 dia e o vigil da noite sentando-se em um círculo que extraia para himself. No 40th dia encontrou-se com uma vez outra vez com o Attar em o que é sabido para ser seu 40th anniversary e foi oferecido um copo do vinho. Era lá o lugar onde é dito ter alcançado ' consciousness' cosmic.

Após a morte; trabalhos coletados

Não há nenhuma versão definitive de seus trabalhos coletados (ou diwan); as edições variam 573 a 994 poemas. Em Irã, seus trabalhos coletados vieram ser usados como um dae (dispositivo automático de entrada) a popular .

Somente desde os 1940s tem uma tentativa scholarly sustentada - por Mas'ud Farzad, por Qasim Ghani e por outro dentro - feito para authenticate his trabalho, e para remover os erros introduzidos por copyists e por censores mais atrasados. Entretanto, a confiabilidade de tal trabalho foi questionada (Michael Hillmann ' no No. de Rahnema-ye Ketab '. 13 (), "Kusheshha-ye Jadid Shenakht-e"), e nas palavras do scholar de Hafez Iraj Bashiri.... "remanesce pouca esperança de lá (i.e.: Irã) para um diwan authenticated ".

Após a morte; influência

Hafez Tomb In Shiraz City, Iran
Túmulo De Hafez Dentro ,

Não muito aclamado em seu próprio dia e exposto frequentemente às reprimendas do orthodoxy, influenciou extremamente poetas persas subseqüentes, e esquerdo sua marca em escritores ocidentais importantes como Goethe. Seu trabalho foi traduzido primeiramente no inglês dentro perto William Jones. Poucas traduções inglesas de Hafiz foram verdadeiramente bem sucedidas. Seu trabalho foi escrito em o que é agora a que apresenta acceptations archaic de algumas palavras, e arreliando para fora do meaning original necessita alguns cuidado e scholarship a fim atribuir cada palavra a um meaning literal ou simbólico. Certamente, Hafiz usa frequentemente imagens, metaphores e allusions isso implica o leitor deve ter uma base cultural muito boa.


Veja também: Literatura persa

Hafez na cultura (iranian) persa contemporary

Os poemas de Hafez são ainda entre os poemas persas os mais populares.São usados freqüentemente na música iranian tradicional como trabalhos de Mohammad Reza Shajarian. Sua poesia é também uma das fontes da inspiração de pintor principal de Irã Mahmoud Farshchian.


Poema

Sem a cara beloved, a rosa não é agradável.

Sem vinho, a mola não é agradável.


A beira do sward e o ar do jardim

Sem tulip o mordente não é agradável.


Dançar do cypress, e o êxtase da rosa,

Sem as mil canções não é agradável.


Com o beloved, o açúcar do bordo, levantou-se do corpo,

Sem beijo e embrace não é agradável.


Cada retrato que depicteth da mão das razões,

Excepto o retrato do idol não é agradável.


Hafez! a alma é uma moeda despicable:

Para dispersar, não é agradável.


Tradução perto Henry Wilberforce-Clarke

Referências

  • E.G. Browne. History literário de Persia. (quatro volumes, 2.256 páginas, e twenty-five anos na escrita). 1998. ISBN 0-700-70406-X
  • Janeiro Rypka, History da literatura iranian. Reidel Publishing Companhia. ASIN B-000-6BXVT-K

Veja também


Ligações externas

 

  > Português > en.wikipedia.org (Traduzido por computador no português)