Malcolm X

Malcolm X
Malcolm X
Carregado , 1925
Omaha, , EUA
Morrido , 1965
Manhattan, New York, EUA

Malcolm X (carregado Malcolm Pouco , 1925, 1965 - sabido também como: Vermelho De Detroit, EL-Haj Malik ELShabazz, e Omowale) era Americano spokesman para . Malcolm X era o founder do Mosque Muçulmano, Inc. e Organização da unidade afro-American.

Durante sua vida, Malcolm foi de ser um rua-sábio a um do mais proeminente nacionalista preto líderes carregados no Estados Unidos. Como a militant o líder, Malcolm X advogou orgulho preto, econômico self-reliance, e política da identidade. Levantou-se finalmente para transformar-se um mundo renowned Bandeja-Africanist e activista das direitas humanas. Malcolm X era dentro New York City em 21, 1965 no primeiro dia de Semana Nacional Do Brotherhood.

Índices

Nome

Explicou o nome que escolheu dizendo,

"Fazer exame de one's ' X ' é fazer exame em algum mistério, em uma determinada possibilidade de poder nos olhos de one's pares e em one's inimigos... ' O X '; anunciado o que você tinha sido e o que você se tinha transformado: Ex-Ex-smoker, Ex-bebedor, Ex-Cristão, Ex-escravo."

' o X ' estêve também para o sobrenome original desconhecido dos escravos de quem Malcolm X desceu, na preferência a continuar a usar um nome que fosse dado pelo proprietário slave. Este rationale feito muitos membros da nação do islam escolhe seus próprios sobrenomes.

Nascimento e anos adiantados

Malcolm foi carregado dentro Omaha, Nebraska ao earl pouco e ao Louise pouco (née Norton). Seu pai, um outspoken e supporter de Marcus Garvey, foi acreditado para ter sido matado pelo Legion Preto, a supremacist branco grupo dentro dentro 1931. Malcolm e seus siblings tinham sido rachados acima e emitidos aos repousos foster diferentes quando Louise pouco foi declarado legalmente insano. Em 1939, foi cometida formalmente ao hospital mental do estado em Kalamazoo, Michigan, e remanescido até Malcolm e seus irmãos e irmãs começou-a liberada vinte e seis anos mais tarde.

Malcolm graduou-se da High School júnior no alto de sua classe, mas deixou-se cair para fora quando seu professor favorito esmagou seu sonho para ser um advogado dizendo que não era "nenhum objetivo realístico para a nigger"[ 1 ]. Após ter resistido uma série de repousos foster, Malcolm foi emitido primeiramente a um centro do detention e então moveu-se mais tarde para a viver com seu half-sister mais velho, Ella pouco Collins.

Encontrou o trabalho como um shoeshiner em a nightclub; em his , diz que brilhou uma vez as sapatas de Duque Ellington e o outro preto notável músicos. Após alguma hora, moveu-se para New York City, onde, dentro Harlem, tornou-se involvido dentro negociar da droga, , pimping, racketeering, robbery, e, de acordo com alguns biographers, trabalhando como a rentboy[ 2 ] (consultado a coletivamente por Malcolm como "hustling"). De acordo com seu biographer Bruce Perry, Malcolm X foi envolvido em relacionamentos sexual com os homens e as mulheres em seus 20's adiantados, quando Lee Do Ponto chamou o livro "assassination de caráter blatant"[ 3 ]. Quando foi examinado para Segunda guerra mundial , encontraram-no para ser insanos[ 4 ], exceto ele do serviço militar; reivindicou ter fingido o insanity evitar de ser esboçado.

Prisão

Malcolm assentou bem em um hustler pequeno do tempo e foi sabido na rua como de "o vermelho Detroit", devido a seu cabelo naturalmente vermelho. Foi prendido em Boston sobre , 1946 na idade de 20 e sentenciada a oito a dez anos aprisionamento nas cargas de quebrar e de entrar, carregando firearms, e larceny. Ganhou mais tarde o nickname Satan no Prisão Do Estado De Charlestown para seu cursing constante, especial de e . Quando na cadeia em 1948, recebeu letras de seu irmão Reginald, pedindo que junte (NOI). O NOI definiu-se como a militant Islamic sect isso preached aquele mais Africano escravos eram antes que estiverem capturados e emitidos ao Americas. Discutiram aquele se "reconvert" ao islam para recuperar o heritage que estêve roubado deles. O NOI considerou-se ser a nacionalista preto agrupe que suportou a idéia de uma nação preta separada dentro dos estados unidos. O NOI considera também non-Pretos como subhuman, no detalhe e Anglo-Saxons de quem existência é devida a uma experiência por um cientista preto nomeado Yakub ido erradamente.

Malcolm estudou diligently os ensinos da nação do líder do islam Elijah Muhammad. Sua irmã Ella ajudou transferi-lo à baixo-segurança colônia da prisão em Norfolk, Massachusetts onde se transformou um leitor avid e se encontrou a justificação para os ensinos de Elijah Muhammad e dentro e filosofia. Participou nos debates semanais da colônia, e copí um inteiro da colônia para expandir seu conhecimento e para melhorar seu handwriting. Seu primeiro contato com Elijah Muhammad estava na prisão, onde correspondeu com o Muhammad pelo correio. Enquanto progrediu em sua self-instrução, começou a escrever ao diário do líder. Após sua liberação no parole sobre , 1952, comprou um suitcase, eyeglasses, e um relógio, um provérbio mais atrasado que estes eram os artigos que usou a maioria em sua vida mais atrasada.

Nação do islam

Em 1952, depois que sua liberação da prisão, Malcolm foi se encontrar com Elijah Muhammad em Chicago. É aqui que recebeu o iconic X, significado symbolize a rejeção de seu "escravo-nome" e a ausência de um africano apropriado . "X" é também uma referência ao nome dado aos escravos pelos proprietários slave Anglo-Europeus, unwilling e un-querendo aprender seus nomes do africano; e é também o tipo que muitos escravos receberam em seu braço superior.

Em março de 1953 o FBI abriu uma lima em Malcolm, suposta em resposta a um allegation que se tinha descrito como a Comunista; de acordo com Comitê Da Igreja, o FBI tinha sido usado por muito tempo monitorar, disrupt, e repress radicais como Malcolm. Foram incluídas na lima duas letras wherein Malcolm usa o pseudônimo "Malachi Shabazz". Na "mensagem ao homem preto em América", Elijah Muhammad explicou o Shabazz conhecido como pertencendo aos descendentes "de uma nação preta asian".

Em maio de 1953 concliu que Malcolm X teve "uma personalidade asocial com tendências paranoid (esquizofrenia paranoid pre-pre-psychotic)", e teve-o no fato, tratamento procurado para seu disorder. Isto foi suportado mais mais por uma letra interceptada pelo FBI, datado , 1950. Na letra dita, na referência a sua classificação 4-F e na rejeção pelas forças armadas "todos disse sempre que Malcolm é louco, assim que não é duro convencer povos que eu sou.". [ 5 ]

Mais tarde esse ano, Malcolm deixou seu half-sister Ella em Boston à estada com o Elijah Muhammad dentro . Logo retornou a Boston e transformou-se o ministro da nação do temple número onze do islam.

Sua sociedade ativa na nação do islam conduziu-lhe que abre diversos temples em torno do país, de que se transformou frequentemente ministro. Seus discursos rousing, incendiary e de inspirational e exemplo pessoal spotless conduziram aos Rank da nação do islam que burgeoning. His que preaching também inspirou o boxer famoso e juntar político da argila de Cassius da activista e mudança de seu nome a Muhammad Ali. Foi visto logo como o homem do número dois no movimento, ao lado de Elijah Muhammad ele mesmo. Foi creditado pela maior parte com a sociedade crescente no NOI de 500 dentro 1952 a 30.000 dentro 1963.

União

Em 1958 Malcolm casou-se Betty X (Sanders Do née) em . Tiveram seis filhas junto, tudo de quem carregou o sobrenome de Shabazz: Attillah, carregado em 1958; Qubilah carregado dentro 1960; Ilyasah carregado dentro 1962; Gumilah carregado dentro 1964 e gêmeos, Malaak e Malikah, que foram carregados após a morte de Malcolm em 1965.

Enquanto Malcolm trabalhou tirelessly para a nação do islam, foi exposto cada vez mais aos boatos de casos extra-maritais de Elijah Muhammad com secretárias novas. Adultery shunned severamente nos ensinos da nação do islam. Embora esta notícia Malcolm unsettled, ele o escovasse frequentemente de lado. Mas logo investigou estes allegations e viu que eram verdadeiros, e estiveram afirmados eventualmente por Elijah Muhammad ele mesmo, que reivindicou que era legitimate para que faça exame em esposas porque era o mensageiro de . (se deve anotar isso polygamy, como a união mais a de uma mas as menos de cinco mulheres, e quando reconhecido especificamente e aceitado abaixo Sharia (somente sob determinadas circunstâncias), não é um transgression na religião islamic mainstream. Elijah Muhammad, entretanto, não foi casado a algumas das mulheres com quem teve casos mas foi terminado em ter crianças com cada mulher.) no fato, Elijah Muhammad pediu Malcolm para cobrir seus casos mas Malcolm recusou. Apesar de ser unsatisfied com as desculpas, e disenchanted por outros ministros usando a nação de fundos do islam alinhar seus próprios bolsos, a fé de Malcolm em Elijah Muhammad não waver.

Pelo verão de 1963, a tensão na nação do islam alcançou o ponto fervendo. Malcolm acreditou que Elijah Muhammad era jealous de sua popularidade (como eram diversos ministros sênior). Malcolm prestou atenção ao Março em Washington crìticamente, incapaz de compreender porque os povos pretos foram excitados sobre uma demonstração "funcione perto brancos na frente de uma estátua de a presidente quem estiveram inoperante por cem anos e quem não gostou de nos quando estava vivo." Mais tarde no ano, seguir John F. Assassination de Kennedy, Malcolm entregou um discurso enquanto regularmente. Entretanto, quando pedido para comentar em cima do assassination, respondeu que era um exemplo de "galinhas que vêm para casa ao roost" que a violência que Kennedy teve não para, e recusado às vezes controlar no tido vindo ao redor reivindicar sua vida. O mais explosiva, adicionou então aquele com suas origens do país, as "galinhas que vêm para casa ao roost nunca fizeram-me sad. Fêz-me somente contente." Este comentário conduzido a outcry público difundido e conduzido à nação do islam que censuring publicamente Malcolm X. Embora retendo seus borne e Rank como o ministro, foi proibido do discurso público por ninety dias por Elijah Muhammad ele mesmo. Malcolm obedecido e manteve-se quiet.

Na mola de 1963, Malcolm começou collaborating sobre O autobiography de Malcolm X com Alex Haley. Também anunciou publicamente sua ruptura da nação do islam sobre , 1964 e fundar do Mosque Muçulmano, Inc. em , 1964. Neste momento, Malcolm aderiu na maior parte aos ensinos da nação do islam, mas começou a modificá-los, explicitamente advogando o nationalism preto político e econômico ao contrário do . Em março e em abril, fêz a série dos discursos famosos chamados "a cédula ou a bala" [ 6 ]. Malcolm estava no contato com diversos muçulmanos orthodox, que o incentivaram aprender sobre orthodox . Converteu-se logo a orthodox , e em conseqüência decidido fazer his Haj.

Haj

Em , 1964, Malcolm partiu Aeroporto de JFK, New York para , por , . Era a segunda vez que Malcolm tinha estado a . O Cairo saido Malcolm que chega dentro Jeddah, Arábia.Saudita aproximadamente três na manhã. Era automaticamente suspeito devido a sua inabilidade falar e his Estados Unidos passport. Foi separado do grupo que veio com e isolado. Gastou aproximadamente 20 horas desgastar ihram, um equipamento de duas partes de toalha que envolve o wearer da cintura para baixo com uma toalha e da cintura para cima com a outra.

Realizava-se neste tempo onde recordou o livro A mensagem eternal de Muhammad por Abdul Rahman Hassan Azzam e que Dr.. Mahmoud Yousseff Sharwabi tinha-se apresentado lhe com sua aprovaçã0 do visto. Chamou o filho de Azzam que arranjou para sua liberação. No Azzam mais novo home encontrou-se com Azzam Pasha que deu a Malcolm seu suite no Hotel Do Palácio De Jedda. A manhã seguinte Muhammad Faisal, o filho de Príncipe Faisal, visitado e informado lhe que devia ser um convidado do estado. O chefe de deputado do protocolo acompanhou Malcolm à corte do Haj. Era conseqüentemente um mero formality para Sheikh Muhammad Harkon para permitir que Malcolm faça his Haj (pilgrimage a ). Em terminou Umrah, fazendo os sete circuitos em torno do Kaaba, bebendo do bem de Zamzam e funcionando entre os montes de Safah e Marwah sete vezes. O desengate provou vida-alterar-se. Tinha vindo ver o islam como a uma religião que poderia apagar todos os problemas raciais.

Um Homem Mudado

Em , 1964, retornou aos estados unidos como um tradicional Sunni (e com um nome novo - EL-Haj EL-Shabazz De Malik).

Quando Malcolm retornou aos estados unidos, deu um discurso sobre sua visita. Esta vez deu um meaning e uma mensagem muito maiores do que antes. O discurso era não somente para os muçulmanos, instead era para a nação inteira e para todas as raças. Disse,

"as direitas humanas são algo que você foi carregado com. As direitas humanas são suas direitas Deus-dadas. As direitas humanas são as direitas que são reconhecidas por todas as nações desta ."
"no passado, sim, eu fiz indictments arrebatadores de todos os povos brancos. Eu nunca serei culpado daquele outra vez -- como eu sei agora que alguns povos brancos são verdadeiramente sincere, esses alguns são verdadeiramente capazes de ser brotherly para um homem preto. O islam verdadeiro tem-me mostrado que um indictment geral de todos os povos brancos é tão erradamente quanto quando os brancos fazem os indictments gerais de encontro aos pretos."
"desde que eu aprendi a verdade em Mecca, meus mais caros amigos vieram incluir todos os tipos -- alguns cristãos, jews, budistas, hindus, agnostics, e mesmo atheists! Eu tenho os amigos que são chamados capitalistas, socialists, e comunistas! Alguns de meus amigos são moderam, conservadores, extremists -- alguns são tio uniforme Toms! Meus amigos são hoje pretos, marrons, vermelhos, amarelos, e branco!" [ 7 ]

Junto com A. Peter Bailey e outro, EL-Shabazz fundou então o U. S. filial do Organização da unidade afro-American. Modelado após Organização da unidade africana (OAU), organização continental de África, em que foi estabelecido Addis Ababa, Etiópia, em maio 1963, OAAU resolveu estabelecer um programa non-religious e non-sectarian para . OAAU incluiu todos os povos do ancestry africano no Hemisfério Ocidental, as.well.as aqueles no continente africano.

África

Entre o pouco sabido e menos fatos mencionados sobre a vida de Malcolm X estão seus excursions dentro . Em tudo, Malcolm X visitou África em três ocasiões separadas, uma vez em 1959 e duas vezes em 1964. Durante suas visitas, encontrou-se com oficiais, assim como falou na televisão e no rádio em lugares diversos como: , ; Addis Ababa, Etiópia; Dar Es Salaam, Tanganyika (agora Tanzânia); Lagos e Ibadan, ; Accra, Winneba, e Legon, ; Conakry, ; , ; e , .

Malcolm foi primeiramente a África no verão de 1959. Viajou a (República Árabe Unida), Sudão e e para arranjar uma excursão para Elijah Muhammad, que ocorreu em dezembro 1959. O primeiro de dois desengates de Malcolm a África dentro 1964 durado de até . Em , que segue seu discurso em Trenchard Salão no campus do Universidade de Ibadan em Nigéria, atendeu a uma recepção na união Salão dos estudantes prendido para ele pelo Sociedade Dos Estudantes Muçulmanos. Era durante esta recepção que os estudantes bestowed em cima dele o "Omowale conhecido" (Oh-Moh-wah-coloque), significando "os retornos do filho para casa" no Língua do yoruba.

Malcolm retornado a New York de África através de , , sobre , 1964. Em , deixou outra vez os estados unidos para África, gastando um total de 18 semanas no exterior. Em , 1964, Malcolm dirigiu-se ao Organização da unidade africana' conjunto ordinário de s primeiro das cabeças de estado e de governos no Cairo como um representante do OAAU. Em , 1964, fêz uma indicação da imprensa em nome do OAAU a respeito da segunda conferência de summit africana do Oau. Nele, explica como um forte e independente "Estados unidos de África"realiza-se uma vitória para awakening de . Pelo tempo retornou aos estados unidos sobre , 1964, Malcolm tinha estabelecido uma conexão internacional do brotherhood entre africanos no continente e aqueles no .

Morte e aftermath

Em 1964, Compartimento da vida publicou uma fotografia famosa de Malcolm X que prendem Carbine M1 e puxando para trás as cortinas para o par fora de uma janela. Esta fotografia é uma imagem popular em t-shirts e aparece frequentemente com o slogan "por todos os meios necessários."a foto foi feita exame em relação à declaração de Malcolm que se defenderia das ameaças diárias da morte que e sua família recebiam. Os informants da capa interna FBI advertiram oficiais que Malcolm X tinha sido marcado para o assassination. Uma capa interna do oficial com a nação do islam tinha sido requisitada reportedly para ajudar plantar uma bomba no carro de Malcolm.

As tensões aumentaram entre Malcolm e a nação do islam. Alegou-se que as ordens estiveram dadas por membros da nação da liderança do islam para matar Malcolm. Em , 1965, seu repouso em New York City era firebombed. Malcolm e sua família sobreviveram. Alguns dizem que estiveram feitas por membros da nação do islam. Ninguém foi carregado nesse crime. Uma semana mais tarde sobre , dentro Manhattan' s Ballroom De Audubon, Malcolm tinha começado apenas a entregar um discurso quando um distúrbio quebrou para fora na multidão de 400. Um homem gritou, "começa a seu outta da mão meu bolso! Não seja messin ' com meus bolsos!"enquanto os bodyguards de Malcolm se apressaram para a frente para atender ao distúrbio, um homem preto apressado para a frente e disparou em Malcolm na caixa com um shotgun sawed-off-fora. Outros dois homens carregaram rapidamente para o estágio e atearam fogo a handguns em Malcolm. Os espectadores irritados na multidão travaram e bateram os assassinos enquanto tentaram fujir o ballroom. Malcolm X tinha morrido na idade de 39.

Funeral

Quinze cem povos atenderam ao funeral de Malcolm em Harlem fevereiro em 27, 1965 na igreja do temple da fé do deus em Christ (agora igreja memorial do temple da criança do deus em Christ). Ozzie Davis entregou um eulogy agitando, e o microfone Wallace hospedou um documentary arejado da televisão de Malcolm X. Após o ceremony, os amigos fizeram exame dos shovels away dos gravediggers de espera e enterraram Malcolm eles mesmos. Malcolm X foi enterrado no Cemetery De Ferncliff em Hartsdale, New York. Três povos foram prendidos para seu assassinato: Nação de membros do islam Talmadge Hayer, Mordomo 3X Normando, e Thomas 15X Johnson. Todos os três convicted do assassinato do primeiro-grau em março 1966. Hayer ele mesmo parece ser o único homem culpado do assassination; deu mais tarde os nomes dos outros assassinos como Albert Thomas, Leon David, William Bradley, e Wilbur McKinley. Alguns investigators independentes familiares com os detalhes do caso acusaram a nação atual do líder do islam Louis Farrakhan de ter jogado um papel principal no planeamento do assassination quando outros reivindicarem Elijah Muhammad ele mesmo, temendo a influência levantando-se de Malcolm, requisitaram-no mataram. Farrakhan deu uma entrevista ao CBS programa da notícia 60 minutos em 1998 em qual negou aos allegations.

Apesar de sua mudança dos métodos tarde na vida, Malcolm X foi recordado mais para sua entrega oratorial notável de seus discursos impetuosos do anti-anti-racist, que foram emulados por outros militant preto organizações e líderes tais como Panteras Pretas e Stokely Carmichael.

Biografias e discursos

The Swedish translation of the autobiography of Malcolm X. Printed by Ordfront in 2003. The title reads: Malcolm X autobiography in collaboration with Alex Haley.
Sueco tradução do autobiography de Malcolm X. Impresso perto Ordfront em 2003. O título lê: Autobiography de Malcolm X na colaboração com Alex Haley.

O autobiography de Malcolm X (ISBN 0345350685) foi escrito perto Alex Haley entre 1964 e 1965, baseado nas entrevistas conduzidas logo antes do assassination de Malcolm (com um epilogue escrito após ele), e foi publicado dentro 1965. O livro foi nomeado perto Tempo compartimento como um dos 10 livros os mais importantes do nonfiction do 20o século. "...pertence na prateleira pequena de autobiographies grandes ", de acordo com Wendy Smith de Amazon.COM.

Malcolm X Fala: Discursos e indicações selecionados ISBN 0802132138 editado por George Breitman. Estes discursos feitos durante os últimos oito meses da vida de Malcolm indicam o poder de suas idéias recentemente refinadas.

"Malcolm X: O homem e suas épocas "(ISBN 0865432007) editado com uma introdução e um commentary por John Henrik Clarke. Um anthology das escritas, os discursos e os manifestos junto com escritas sobre Malcolm X por um grupo internacional de scholars e de activistas americanos africanos e africanos.

"Malcolm X: A Lima de FBI "(ISBN 0881847518) commentary por Clayborne Carson com uma introdução por Ponto Lee e editado por David Gallen. Uma fonte da informação que documenta FBI' lima de s em Malcolm que começa com sua liberação da prisão dentro 1953 e culminando com um pedido 1980 que os FBI investigam o assassination de Malcolm.

A película Malcolm X foi liberado dentro 1992, dirigido perto Lee Do Ponto. Baseado no autobiography, starred Denzel Washington como Malcolm com Bassett De Angela como Betty e Freeman Jr Do Al. como Elijah Muhammad.

A película 2001 Ali, sobre o boxer Muhammad Ali, caracteriza também Malcolm X, como jogado perto Mario Camionete Peebles.

Veja também

Ligações externas

Locais da pesquisa


Artigos e relatórios

Leitura mais adicional

Artigos

  • Parques, Gordon. O dia do diabo branco quase sobre. Vida, Maio 31, 1963.
  • Speakman, Lynn. Quem Matou Malcolm X? O advogado do vale, novembro 26, 1992, pp. 3-6.
  • Vincent, Theodore. Os pais de Garveyite de Malcolm X. O scholar preto, vol. 20. # 2, abril, 1989.

Livros

  • Autobiography de Malcolm X (co-autor Alex Haley) ISBN 0812419537
  • Acuna, Rodolfo. América Ocupada: Um history dos chicanos. New York: Harper & Fileira, 1981.
  • Alkalimat, Abdul. Malcolm X para novatos. New York: Escritor e Leitor, 1990.
  • Asante, Molefi K. Malcolm X como o herói cultural: e outros essays de Afrocentric. Trenton, N.J.: Imprensa Do Mundo De África, 1993.
  • Baldwin, James. Um Dia, Quando Eu Fui perdido: Um Scenario Baseado No Autobiography De Alex Haley "De Malcolm X". New York: Dell, 1992.
  • Breitman, George, ed. Malcolm X Fala. New York: Mérito, 1965.
  • Breitman, George. O ano passado de Malcolm X: A evolução de um revolucionário. New York: Descobridor, 1967.
  • Porter de Breitman, de George e de Herman. O assassination de Malcolm X. New York: Descobridor, 1976.
  • Brisbane, Robert. Activism Preto. Forja Do Vale, Pensilvânia: Imprensa De Judson, 1974.
  • Carson, Claybourne. Malcolm X: A Lima de FBI. New York: Carroll & Graf, 1991.
  • Carson, Claybourne, et al. Os olhos no leitor premiado das direitas civis. New York: Pinguim, 1991.
  • Clarke, John Henrik, ed. Malcolm X; o homem e suas épocas. New York: Macmillan, 1969.
  • Cleage, Albert B. e George Breitman. Mitos Sobre Malcolm X: Duas Vistas. New York: Mérito, 1968.
  • Collins, Rodney P. A Sétima Criança. New York: Dafina; Londres: Rotação, 2002.
  • Cone, James H. Martin & Malcolm & América: Um sonho ou um nightmare. Maryknoll, N.Y.: Orbis Livro, 1991.
  • Davis, Thulani. Malcolm X: As Fotografias Grandes. New York: Stewart, Tabon e Chang, 1992.
  • Decaro, Louis A. No lado de meus povos: Uma vida religiosa de Malcolm X. New York: New York Universidade, 1996.
  • Doutor, Bernard Aquina. Malcolm X para novatos. New York: Escritor e Leitor, 1992.
  • Dyson, Michael Eric. Fazendo Malcolm: O mito e o meaning de Malcolm X. New York: Imprensa Da Universidade De Oxford, 1996.
  • Essien-Udom, E. U. Nationalism Preto. Chicago: Universidade da imprensa de Chicago, 1962.
  • Evanzz, Karl. De Factor Judas: O lote matar Malcolm X. New York: Imprensa Da Boca Do Trovão, 1992.
  • Franklin, Robert Michael. Visões Liberating: Fulfillment Humano E Justiça Social No Pensamento Africano-Americano. Minneapolis, Manganês: Imprensa Do Fortress, 1990.
  • Friedly, Michael. O assassination de Malcolm X. New York: Carroll & Graf, 1992.
  • Gallen, David, ed. Malcolm A a Z: O homem e suas idéias. New York: Carroll e graf, 1992.
  • Garrow, David. Carregando a cruz: Martin Luther King, Jr. and the Southern Christian Leadership Conference. New York: Vintage, 1988.
  • Goldman, Peter. The Death and Life of Malcolm X. Urbana: University of Illinois Press, 1979.
  • Hampton, Henry and Steve Fayer. Voices of Freedom: Oral Histories from the Civil Rights Movement from the 1950s Through the 1980s. New York: Bantam, 1990.
  • Harding, Vincent, Robin D. G. Kelley and Earl Lewis. We Changed the World: African Americans, 1945-1970. The Young Oxford History of African Americans, v. 9. New York: Oxford University Press, 1997.
  • Hill, Robert A. Marcus Garvey: Life and Lessons. Los Angeles: University of California Press, 1987.
  • Jamal, Hakim A. From The Dead Level: Malcolm X and Me. New York: Random House, 1972.
  • Jenkins, Robert L. The Malcolm X Encyclopedia. Westport, Conn.: Greenwood Press, 2002.
  • Karim, Benjamin with Peter Skutches and David Gallen. Remembering Malcolm. New York: Carroll & Graf, 1992.
  • Kly, Yussuf Naim, ed. O Livro Preto: A filosofia política verdadeira de Malcolm X (EL Shabazz de Malik do Haj do EL). Atlanta: Imprensa Da Claridade, 1986.
  • Líder, Edward Roland. Malcolm Compreensivo X: As mudanças controversas em sua filosofia política. New York: Imprensa Vantage, 1993.
  • Lee, ponto com Ralph Wiley. Por Alguns Meios Necessários: As experimentações e o Tribulations de fazer de Malcolm X. New York, N.Y.: Hyperion, 1992.
  • Lincoln, C. Eric. Os muçulmanos pretos em América. Boston, Baliza. 1961.
  • Lomax, Louis. Quando a palavra for dada. Cleveland: Mundo, 1963.
  • Maglangbayan, Shawna. Garvey, Lumumba, e Malcolm: Nacional-Separatists. Chicago, Imprensa 1972 Do Terceiro Mundo.
  • Marable, Equipando. Em Malcolm X: Seus Mensagem & Meaning. Westfield, N.J.: Abra Meio, 1992.
  • Martin, Tony. Compita Primeiramente. Westport, Connecticut: Greenwood, 1976.
  • Perry, Bruce. Malcolm: A vida de um homem que mudasse América preta. New York: Estação Monte, 1991.
  • Randall, Dudley e Margaret G. Burroughs, ed. 'Para Malcolm; Poemas na vida e na morte de Malcolm X. Prefácio e eulogy por Ossie Davis. Detroit: Imprensa Do Broadside, 1967.
  • Vendas, William W. Das Direitas Civis Enegrecer O Liberation: Malcolm X E A Organização Da Unidade Afro-American. Boston, Miliampère: Imprensa Sul Da Extremidade, 1994.
  • Shabazz, Ilyasah. Crescimento Acima De X. New York: Um Mundo, 2002.
  • Strickland, William, et al. Malcolm X: Faça-o Liso. Penquin Livro, 1994.
  • T'Shaka, Oba. O legacy político de Malcolm X. Richmond, Calif.: Bandeja Afrikan Publicação, 1983.
  • Tuttle, William. Motim Da Raça: Chicago, o verão vermelho de 1919. New York: Atheneum, 1970.
  • Vincent, Theodore. Poder preto e o movimento de Garvey. San Francisco: Ramparts, 1972.
  • Madeira, Joe, ed. Malcolm X: Em Nossa Própria Imagem. New York: St. Imprensa De Martin, 1992.
  • Woodward, C. Vann. Origens do sul novo. Rouge De Baton: Imprensa Da Universidade De Estado De Louisiana, 1967.

Notas

  1. ^ Autobiography de Malcolm X, página 43.
  2. ^ Guardian, maio 19, 2005
  3. ^ NY Notícia Diária artigo
  4. ^ Limas de FBI em Malcom X (lima do pdf - 5Mb)
  5. ^ Texto e áudio "do discurso da cédula ou da bala"

 

  > Português > en.wikipedia.org (Traduzido por computador no português)