Genocide Rwandan

The skulls of victims show gashes and signs of violence
Os skulls das vítimas mostram gashes e sinais da violência

Genocide Rwandan era o slaughter de uns 800.000 estimados e modera por um grupo dos extremists do hutu sabidos como Interahamwe durante um período de 100 dias dentro .

Para muitos, está para fora como historicamente significativo não somente por causa do número sheer dos povos que foram assassinados em um período de tempo tão curto, mas também por causa da maneira muitos países ocidentais responderam aos atrocities. Apesar da inteligência fornecida antes que a matança começar, e da cobertura de meios internacional da notícia que reflete a escala verdadeira da violência enquanto o genocide unfolded, virtualmente tudo primeiro-mundo os países declinaram intervir. recusou autorizar naquele tempo sua operação do peacekeeping em Rwanda, conduzido perto , para fazer exame da ação para trazer a matança a uma parada. Esta falha agir transformou-se o foco de recriminations amargos para policymakers individuais especificamente, como Jacques-Roger Booh-Booh, as.well.as as nações e os países unidos como e mais geralmente e especificamente. Clinton foi mantido informed em uma base diária por seus conselheiros mais próximos e pelo U.S. Embassy de Rwanda. Clinton foi recomendado também por outro perto dele "para permanecer fora de Rwanda" por causa da folga política possível similar àquela qual ocorreu apenas um ano mais cedo em uma tentativa falhada de ajudar ao país no .

O genocide foi trazido a uma extremidade somente quando , conduziu perto , overthrew o governo do hutu e apreendeu o poder. No aftermath do genocide, as represálias esporádicas foram feitas exame frequentemente de encontro aos hutus étnicos, fazendo com que as centenas dos milhares fujam em oriental (agora ). A violência e sua memória continuam a afetar o país e a região. Ambos os Primeiramente e Em segundo Guerras De Congo siga suas origens ao genocide, e continua a ser um ponto de referência para Guerra Civil De Burundian.

Índices

Fundo

Rwanda é um de poucos estados em África para seguir pròxima suas beiras ancestral. Reino de Rwanda, controlado por uma família real do tutsi, governou a região durante todo o history gravado. Quando os echelons superiores desta sociedade eram pela maior parte tutsi, as divisões étnicas não eram stark. Muito o hutu era entre o nobility e misturar-se significativo ocorreu. A maioria do tutsi, que compôs 15-18% da população, era camponeses pobres, como eram a maioria do hutu.

History colonial

Em 1890 o país foi dado aos alemães em uma conferência em Bruxelas, mas não havia virtualmente nenhuma presença alemão na área até o fim do século. foi concedido algum alemão spoils após , including Rwanda. Tenderam a simplificar matérias; transformando o elite do tutsi da maioria em a unicamente Elite do tutsi, com posição na sociedade determinada pela etnicidade. Os cartões de identidade coloniais usaram mesmo a afiliação étnica como uma classificação apesar do fato que os tutsis e os hutus compartilharam de muitas características cultural including a geografia, a língua e práticas tradicionais. Os tutsis apreciaram status privilegiado sob a régua belga e puderam fixar trabalhos melhores e a instrução melhor do que hutus para as duas décadas seguintes.

Bélgica controlaram Rwanda e neighbouring do fim da primeira guerra de mundo até a independência dentro . Belga , em Rwanda e em Burundi as.well.as , foi marcado pelo brutality e pelo incompetence.

Self-government


Eventos iniciais
Causas do genocide
Jogadores Rwandan
Papel da comunidade internacional
Conseqüências do Genocide
Glossário e suplementos
Bibliografia

Depois que a segunda guerra mundial a administração colonial belga em Rwanda foi colocada sob o trusteeship unido das nações e esperada conseqüentemente preparar Rwanda para a independência. Precedendo o belga retire, eleições trouxe o nacionalista do hutu Partido do movimento do emancipation do hutu (PARMEHUTU) ao poder dentro . Lançaram um programa de avançar o poder da maioria do hutu, desculpado pela maior parte no oeste. Quando o tutsi tinha sido os favoritos dos poders coloniais, a percepção deslocada como o tutsi tornou-se vista como overlords feudal. Viu-se assim como apropriado que a liderança do tutsi ousted no favor da régua pela maioria do hutu. Isto conduziu também a um downplaying da violência que foi associada com este processo. Algum tutsi 20.000 foi matado e uns 200.000 adicionais fujiram aos países neighbouring.

Após a independência, PARMEHUTU estabeleceu uma régua do um-partido baseada no nationalism do hutu. Em e outra vez dentro , foi iniciado em que um grande número tutsi foi matado e era mais forçado no exile.

Em o hutu apreendeu o poder em um coup militar, PARMEHUTU ousting, mas continuar a confiar no nationalism do hutu para permanecer principalmente sobre no poder, akazu.

Outras causas da violência

Uma outra escola do pensamento discute que a violência na região é um resultado das mesmas teorias européias da raça que aquela conduziu ao Holocaust. Estas idéias foram propagadas perto . Ao contrário dos outros estados misturados de África, Rwandans foi considerado por Europeu estar na beira entre pretos e o "mais nobre" Hamites. foi visto como Hamites e como o inferior . Este racism ingrained foi invertido em cima da independência quando os hutus da maioria fizeram exame a ver os tutsis como invasores extrangeiros e Rwandans nao verdadeiro. As divisões similares conduziram à violência em outras partes de África do nordeste, o mais notàvelmente dentro .

Outros vêem uma explanação econômica para a violência. A região de Great Lakes, com solo rico e um clima mais temperate por causa de sua altura, é um do de África. Isto conduziu à competição muita para a terra e recursos escassos.

, em seu livro Colapso, discute que este overpopulation era um fator contribuindo à violência, como em uma área onde somente um único tutsi viveu, 5% do hutu que 2000 os habitantes foram matados também. O diamante reivindica que o mayhem do genocide forneceu um pretext para algum Rwandans para matar seus vizinhos mais ricos e para apreender sua terra.

Muito reivindicação de Rwandans que havia pouco rivalry inter-étnico até que estiver incentivado deliberadamente pelo como um ploy ao contador e , .

Prelude ao genocide

Uma outra fonte de tensões da montagem dentro era os grumblings do diaspora do tutsi nos acampamentos do refugee que soam a nação, particularmente de . Rwanda tinha sido dado a independência antes de Uganda, e o history adiantado da serra dos outcasts do tutsi jogado para fora em 30 anos do history de Uganda, da independência de Grâ Bretanha, a uma democracia do fledgling, e sobre a e overthrows militares sucessivos. Rwandans lutou ao lado de Ugandans, onde tinham ajudado depose com e serra sua instalação como o presidente em janeiro .

A parte dianteira patriotic de Rwandese do tutsi (RPF) foi dada forma principalmente dentro abaixo e serra uma oportunidade em seu próprio país de exijir o recognition de suas direitas como Rwandans, including a direita do retorno. Em , RPF força Rwanda invadido de sua base em neighbouring . A força rebel, composta primeiramente dos tutsis, responsabilizado o governo não democratize e não resolvem os problemas de uns refugees de 500.000 tutsi que vivem no diaspora em torno do mundo.

O governo rwandan portrayed a invasão como uma tentativa de trazer para trás ao tutsi o grupo étnico no poder. A reação internacional era ambiguous. A violência aumentou tensões étnicas como os hutus rallied em torno do presidente. Habyarimana ele mesmo reagiu pelos tutsis e pelos hutus imediatamente repressing que foram percebidos para estar na liga com interesses do tutsi. Habyarimana justificou estes atos proclamando o era a intenção dos tutsis para restaurar um tipo do sistema feudal do tutsi e para enslave assim a raça do hutu.


Acordos De Arusha

Veja o artigo principal Acordos de Arusha

A guerra arrastou sobre por quase dois anos. As conversas começaram , um cease-fire fêz exame do efeito , e as conversas políticas começaram , . Os acordos de Arusha foram assinados após negociações protracted sob os auspices do Organização da unidade africana, até , , com uma reunião em Rwanda a , . Assinar final era sobre , .

Os acordos repararam um timetable para uma extremidade à luta e um começo de conversas políticas, conduzindo a compartilhar do acordo e de poder da paz, ao autorizar um grupo militar neutro do observador sob os auspices da organização pela unidade africana. Entretanto, a definição continuou a ser esticada.

Preparações para o genocide

Durante este período o rhetoric do nationalism do hutu escalado. Estações de rádio, particularmente Télévision de rádio Libre de Mille Collines (RTLM), possuído por líderes superiores do governo, e por jornais, começou uma campanha do ódio e do medo. Transmitiram e publicaram o material que consulta ao tutsi como subhuman e que faz chamadas vendadas para a violência. Grupos radicais do hutu, organizados e financiados pelos membros do governo, começados amass armas e conduzir programas de treinamento. Os líderes do governo encontraram-se com no segredo com os líderes do grupo da juventude, dando forma e armando às milícias chamadas Interahamwe, que significa a "vinda junto" dentro Kinyarwanda, a língua local.

Há uma evidência ampla que a matança estêve organizada bem. (veja a "licença nenhuns dizer a história, pelo relógio de direitas humanas, [ 1 ], e a evidência apresentou-se em experimentações no tribunal criminal internacional para Rwanda em [ WWW.ictr.org ].) pelo tempo a matança começada, a milícia em Rwanda era 30.000 fortes - um membro da milícia para cada dez famílias - e organizado por todo o país, com os representantes em cada vizinhança. Alguns membros da milícia podiam adquirir terminando formulários da requisição. Outras armas como grenades não requereu nenhum paperwork e foram distribuídos extensamente. Muitos membros da milícia (interahamwe) foram armados somente com machetes, mas estes eram alguns dos assassinos os mais eficazes.

De acordo com Melvern, ministro principal rwandan Jean Kambanda revelado ([ 2 ]) que o genocide foi discutido abertamente nas reuniões do armário, e que um ministro de armário disse que estava "pessoalmente no favor de começar livrado de todo o tutsi... sem o tutsi todos os problemas de Rwanda sobre."as.well.as Kambanda, os organizers dos genocide incluíram a coluna. Théoneste Bagosora, um general aposentado do exército, e muitos cobre oficiais de governo do ranking e membros do exército, tais como o general Bizimungu, que portrayed na película Hotel Rwanda. No nível local, os planners dos genocide incluíram Burgomasters, ou mayors, e membros das polícias.

Assassinations iniciais

Em , 1994, e , o hutu Presidente de Burundi, foi disparado para baixo como ele preparou-se para aterrar dentro . Ambos os presidentes foram matados quando o plano deixou de funcionar. A responsabilidade exata para este ato não é sabida. Os relatórios recentes sugerem que era membros do RPF, possivelmente com a ajuda de mercenaries extrangeiros.

Entretanto, em janeiro três disseram que eram parte de uma equipe da batida do elite que realizasse o assassination do presidente do hutu. Disseram investigators dos UN dentro que a matança do presidente Juvénal Habyarimana estêve realizada "com o auxílio de um governo extrangeiro" sob o comando total de , que é o presidente atual de Rwanda.

Os investigators dos UN tinham acreditado que os extremists do hutu dentro do círculo da família do Sr. Habyarimana o tinham matado. Então, Habyarimana foi envolvido nas conversas que visaram compartilhar do poder com a parte dianteira patriotic de Rwandese. Os informants disseram aos investigators esses a parte dianteira decidida matar Habyarimana porque o grupo não foi satisfeito com o ritmo lento das conversas.

Os allegations são contidos em um livro [ 3 ] publicado em novembro 2005, escrito pelo tenente Abdul Ruzibizawhere. De acordo com o livro, Paul Kagame chaired muitas reuniões para planear o assassination, o último de que foi prendido no RPF sedía em Mulindi (Byumba, Rwanda do norte) sobre , . O presente era coronéis Kayumba Nyamwasa, Theoneste Lizinde e tenente coronel James Kabarebe. O RPF decidiu-se transportar aos mísseis de Kigali SA-16 do arsenal de Ugandan hoodwinking o contingente ghanaian dos peacekeepers dos UN.
Habyarimana foi matado quase abril em 5, 1994 enquanto retornou de Zaire, mas não era possível colocar os mísseis no local na luz do dia larga.
Os mísseis tinham sido colocados no monte de Masaka. Lizinde, um oficial anterior no exército rwandan, tinha escolhido para fora do ponto. O ataque foi realizado por dois gunmen, por um soldado que fosse desdobrado para os proteger e por um excitador. A primeira pessoa a atear fogo, capitão Eric Hakizimana, tocou no plano em sua asa direita mas sem trazê-la para baixo. ò Tenente Frank Nziza emitido o míssil seguinte que voa 3-4 segundos mais tarde e disparado para baixo o plano.

A pessoa carregou pelos UN com inquirir nos assassinations dentro , afirmado na frente do senate belga [ 4 ]

"a respeito do ataque do plano presidencial, é o nó de Gordian desta história. Assim que eu fizesse exame de meus deveres, eu fui a Genebra. Eu tive nas audiências o embaixador de France porque meu mandato especificou bem que eu devia investigar este assunto. Eu perguntei se France poderia colocar em minha eliminação caixa preta do plano presidencial. Disse-me: "eu compreendo, mim consultarei sobre ele a meu governo" Depois disso, indicou-me que o governo não teve esta caixa preta. Eu fui então a Kigali, onde eu me encontrei com a equipe de funcionários militar. I asked them: "Can I have the black box?"Havia quatro soldados, a cabeça da equipe de funcionários e outra. A cabeça da equipe de funcionários dita a mim: "a caixa preta é com as forças armadas" Eu disse-lhe: "mas você mesmo, você é as forças armadas" E finalmente, disse-me: "nós não o temos, pedimos France" Eu fui retornado assim um com o outro, e finalmente, havia um determinado capitão de Baril (sic: soletrado erradamente para o capitão Paul Barril) quem reivindicou ter a caixa - e eu pedi que às nações unidas ao lugar em minha eliminação uma placa de inquérito com um perito na balística, a fim fazer a pesquisa. Certamente, entrementes, disse-se que o ICAO não poderia fazer a investigação, porque o plano não era um avião civil, mas um avião militar. E um necessitou assim uma placa de inquérito. Eu pedi-o das nações unidas, e respondeu-se me que não havia nenhum orçamento para aquele. O governo rwandan tinha pedido também que eu investigasse este assunto. E em um de meus relatórios, eu recordo precisamente, eu extraio o sino do alarme, porque dizer fazer rapidamente antes que esteja demasiado atrasado. Medo I uniforme que está demasiado atrasado agora. De modo que, até agora, eu não conseguisse esta tarefa antes que eu tiver que sair."

O ataque dramático do avião era um sinal unambiguous a todo o Rwandans. Aqueles que estavam indo matar souberam o que teve que fazer; o tutsi e o hutu moderado compreenderam uma vez naquele que seria atacado.

Nas noites abril 6 e de 7 a equipe de funcionários das forças armadas de Rwanda (DISTANTE) e de coronel Bagosora clashed verbal com UNAMIR (missão unida do auxílio das nações para Rwanda) comandante Geral da força , que indicou a autoridade legal do ministro principal, Agathe Uwilingiyimana, fazer exame do controle da situação como esboçado em Arusha concorda. O coronel Bagosora disputou a autoridade. O general Dallaire decidiu-se dar uma escolta do pessoal de UNAMIR à Sra. Uwilingiyimana para protegê-la durante a noite e para permitir que emita a uma mensagem acalmando-se no rádio a manhã seguinte. Por então, o protetor presidencial ocupou a estação de rádio e a Sra. Uwilingiyimana teve que cancelar seu discurso. No meio do dia, assassinated pelo protetor presidencial. Os soldados do belga UNAMIR emitidos para protegê-la foram encontrados mais tarde massacred.

Outros oficiais moderados favoráveis aos acordos de Arusha assassinated rapidamente. Execução escapada Twagiramungu de Faustin como foi passado à segurança de UNAMIR.

Genocide

Unearthed bodies at a massacre site
Corpos unearthed em um local do massacre

Como se o assassination era um sinal, as forças armadas e os grupos da milícia começaram a arredondar-se acima e matar todos os tutsis que poderiam capturar assim como político modera irrespective de seus fundos étnicos. (o filme Hotel Rwanda dramatizes isto como uma transmissão de rádio codificada que instrui hutus "cortar as árvores altas"). Um grande número políticos da oposição foram assassinados também. Muitas nações evacuaram seus nationals de Kigali e fecharam seus embassies enquanto a violência escalou. O pessoa incitado de rádio nacional a permanecer em seus repousos, e os ataques vitriolic governo-financiados da transmissão da estação RTLM de encontro aos tutsis e ao hutu moderam. As centenas dos roadblocks foram ajustadas acima pela milícia no Kigali importante e em torno do país. O general Dallaire e UNAMIR, escorting tutsis em Kigali, era incapaz de fazer qualquer coisa porque os hutus se mantiveram escalar a violência e se começaram mesmo alvejar, através de RTLM, o pessoal de UNAMIR e o general Dallaire.

A matança espalhou rapidamente de Kigali a todos os cantos do país; entre e o começo de julho, um genocide de swiftness unprecedented sairam oficialmente de 937.000 tutsis e dos hutus moderados inoperantes nas mãos de faixas organizadas das milícias sabidas como Interahamwe. Um tal massacre ocorrido em Nyarubuye. Mesmo os cidadãos ordinários foram convidados por oficiais locais e o rádio government-sponsored para matar seus vizinhos e aqueles que recusaram matar foi matado frequentemente. "ou você fêz exame da parte nos massacres ou você massacred," o um hutu dito que foi forçado a fazer exame da parte. O presidente MRND o partido foi implicado em organizar muitos aspectos do genocide.

A maioria das vítimas foram matadas em suas vilas ou nas cidades, frequentemente por seus vizinhos e aldeões do companheiro. O Interahamwe matou na maior parte suas vítimas chopping as acima com machetes, embora algumas unidades de exército disparassem e matassem nos tutsis e nos hutus moderados. Em algumas cidades as vítimas crammed forçosamente em igrejas e em edifícios de escola, onde os grupos extremist do hutu massacred então os. Em Junho aproximadamente 3000 tutsis procurou o refúgio em uma igreja catholic dentro Kivumu. Interahamwe local usou então as escavadoras fornecidas pelas polícias locais às batidas abaixo o edifício da igreja. Povoe quem tentado se escapar foram cortados para baixo com machetes.

UNAMIR

Para os pares seguintes das semanas, muitas decisões questionáveis foram feitas por membros do conselho de segurança unido das nações. Os UN tiveram uma força do peacekeeping no país, UNAMIR - a missão unida do auxílio das nações para Rwanda.

O comandante general Dallaire da força de UNAMIR tornou-se ciente das plantas para o genocide em janeiro de 1994. Emitiu um cabo a U.N. matrizes em N.Y. pedir permissão confiscate armas. Durante todo janeiro, Februrary e março, pleaded para reforços e a sustentação logistical. Conselho De Segurança dos Un recusado. Os estados unidos recusaram fornecer pediram o dae (dispositivo automático de entrada) material após os esforços falhados dos E. U. dentro , . France, China e Rússia opuseram a participação em o que foi visto como "um caso interno". Dallaire "foi feito exame diretamente à tarefa," em suas palavras, para mesmo sugerir que UNAMIR deve invadir os esconderijos das armas dos militants' do hutu, cuja a posição lhe tinha sido divulgada por uma fonte de confiança do governo. Muito U.N. os oficiais, including Boutros Ghali, Kofi Annan e Bouh-Bouh foram envolvidos em molhar abaixo a resposta do U.N. Nos estados unidos, Clinton e Albright recusaram fazer exame da ação. Somente Bélgica pediu um mandato forte de UNAMIR. Depois que o assassinato de dez peacekeepers de Bélgica que protegem o ministro principal de abril adiantado, Bélgica puxou fora da missão do peacekeeping.

Os UN e os estados de membro pareceram pela maior parte destacados das realidades na terra. No meio da crise, Dallaire foi instruído para ter o foco de UNAMIR somente em evacuar nationals extrangeiros de Rwanda, e a mudança em ordens conduziu mesmo a peacekeepers belgas abandonar uma escola técnica enchida com os 2.000 refugees, quando os militants do hutu esperaram fora, cerveja bebendo e poder hutu chanting do "."depois que os belgas sairam, os militants entraram na escola e massacred aqueles para dentro, including centenas das crianças. Quatro dias mais tarde o conselho de segurança votou para reduzir para baixo UNAMIR a 260 homens.

A cabeça administrativa de UNAMIR era anterior Jacques-Roger Booh-Booh, que veio sob o criticism para downplaying o significado de relatórios de Dallaire, e prender perto amarra ao elite militant do hutu.

Depois do belga forçou a retirada depois que 10 soldados foram matados, general Dallaire consolidou seu contingente de soldados canadenses, ghanaian, e holandeses em áreas urbanas e focalizou-o em fornecer áreas "de controle seguro". Suas ações são creditadas com diretamente conservar as vidas de 20.000 tutsis.

O governo rwandan novo, conduzido pelo presidente do ínterim Théodore Sindikubwabo, trabalhado duramente para minimizar o criticism internacional. Rwanda nesse tempo teve um assento no conselho de segurança e seu embaixador discutiu que as reivindicações do genocide exaggerated e que o governo fazia tudo que poderia o parar. Representantes do rwandan Igreja Catholic, associado longo com os hutus radicais em Rwanda, usou também suas ligações em Europa reduzir o criticism. , que sentiu os estados e o Reino Unido unidos usaria os massacres tentar expandir sua influência que parte francophone de África, trabalhada também para impedir uma intervenção extrangeira.

Finalmente, abril em 29, 1994, os UN conceded que os "atos do genocide podem ter sido cometidos."por esse tempo, Cruz Vermelha estimado que 500.000 Rwandans tinham sido matados. Os UN concordaram emitir 5.500 tropas a Rwanda, a maioria de quem deviam ser fornecidas por países africanos. Os UN pediram também 50 dos estados unidos. Entretanto, a distribuição destas forças era atrasado devido aos argumentos sobre seu custo.

Junho em 22, com nenhum sinal da distribuição dos UN que ocorre, o conselho de segurança autorizou forças francesas para aterrar dentro Goma, em uma missão humanitária. Desdobraram-se durante todo o sudoeste Rwanda em uma área que chamaram da "a turquesa zona," quelling o genocide e parando a luta lá, mas frequentemente chegando nas áreas somente depois que o tutsi tinha sido forçado para fora ou matado. A turquesa da operação é carregada com ajudar ao exército do hutu e a luta de encontro ao RPF. devido à confusão amongst tropas francesas sobre o que estava indo realmente sobre, muito o tutsi massacred em francês controled áreas.

Invasão renovada RPF

Tópico relacionado: Crise do refugee de Great Lakes

O batalhão do RPF postado em Kigali sob os acordos de Arusha veio sob o ataque imediatamente depois de disparar para baixo do plano do presidente. O batalhão lutou sua maneira fora de Kigali e juntou-a acima com unidades do RPF no norte.

Refugee camp in Zaire, 1994
em Zaire, 1994

O RPF renovou sua guerra civil de encontro ao governo do hutu de Rwandese quando recebeu a palavra que os massacres genocidal tinham começado. Seu líder, Paul Kagame, forças dirigidas do RPF em países neighboring tais como Uganda e para invadir o país, battling as forças do hutu e milícias de Interahamwe que cometiam os massacres. A guerra civil resultante raged simultaneamente com o genocide por dois meses.

Os rebels do tutsi derrotaram o regime do hutu e terminaram o genocide em julho 1994, 100 dias após ele começaram, mas aproximadamente dois milhão refugees do hutu - alguma de quem participaram no genocide e temeram o retribution do tutsi - fujidos a Burundi, a Tanzânia, a Uganda, e a Zaire neighbouring (agora manual do transportador). Os milhares deles morreram nas epidemias de e que varreu o refugee acampa. O genocide rwandan e resultar um grande número refugees destabilized o contrapeso de poder regional ao longo da beira zairian, tendo por resultado o começo do Primeira Guerra De Congo, que ajustou o estágio para Em segundo Guerra De Congo isso continua a incomodar a região. Os batalhões de Interahamwe continuam a operar-se em Congo oriental, destabilizing a região e causando a tensão entre Rwanda e o manual do transportador.

Paul Kagame é agora presidente de Rwanda. Rwanda está no processo de prosecuting milhares de suspeitos do genocide nas cortes nacionais e em sessões informais de Gacaca.

Esforços do relevo

tinha experimentado o problema dentro logo antes do genocide, e presidente decidido não começar involvido no conflito "local" - uma decisão foi relatado mais tarde ao pesar. , na ausência de todo o dae (dispositivo automático de entrada) militar sério dos estados unidos, foi forçado para abrir mais largamente seus pathways de uma comunicação do que antes e para incitar outros países para juntar os esforços. Os estados unidos concordaram suportar estes esforços com finanças e algum equipamento. Cedo no processo do relevo, os acampamentos americanos começaram a deixar cair pacotes grandes do alimento do ar nas esperanças de aliviar o sofrimento abaixo. Entretanto, o oposto ocorreu enquanto os povos slaughtered uma vez outra vez pelos mobs que tentam alcançar o alimento precioso. Os estados unidos recusados trazer seu dae (dispositivo automático de entrada) mais perto da terra, e, como o tempo foram perto, e começou a espalhar ràpidamente através dos acampamentos aglomerados do refugee. Logo, o problema exacerbated enquanto a chuva começou a cair e as contagens dos povos contraíram séptico .

Por este ponto, tinha estabelecido um hospital do campo na área de em uma tentativa de ajudar a um grande número refugees. Muitos destes refugees so-called eram líderes de Interahamwe e membros do governo que fujiu o país que teme a retaliação do RPF. Embora o equipamento e as fontes médicas fossem abundantes, os jovens e a equipe de funcionários médica relativamente inexperienced faltaram a perícia cirúrgica essencial aos esforços do relevo. Para ajudar às forças à terra, conduziu a missão médica a maior em seu history, e, embora suas fontes não sejam tão abundantes quanto aquelas das outras forças, seu todo-ofereça a força de cirurgiões militares foi composto dos specialists e dos secundário-sub-specialists, including cirurgiões well-known. As duas unidades podiam estabelecer um método de operação original e constructive que confiasse em fontes médicas abundantes de France e na perícia médica de Israel.

No tandem com estas duas unidades, tinha emitido um contingente pequeno que consiste na maior parte nos medics e nas enfermeiras. Esta força girou para fora para ser benéfica para esforços da reabilitação e o cuidado ambulatory depois que os pacientes se moveram para fora dos quartos médicos Francês-french-Israeli. Importe-se Deutschland ajudado fornecendo ambulâncias, e Merlin de ajudou fornecendo caminhões e o equipamento pesado para distribuir o alimento e as fontes aos alvos da extremidade nos acampamentos do refugee. Junto, esta combinação original de well-intentioned forças era responsável para curbing o pedágio da morte sobre as águas do lago Kivu, perto Goma, .

UNAMIR foi trazido o back-up à força após a vitória do RPF (e foi chamado UNAMIR 2 depois disso). UNAMIR remanesceu em Rwanda até , .

Depois de um uprising pelo tutsi étnico Banyamulenge povos em Zaire oriental em outubro que marcou o começo do Primeira Guerra De Congo, um movimento enorme dos refugees começou que trouxeram mais a parte traseira de 600.000 a Rwanda nas últimas duas semanas de novembro. O Interahamwe continua ao opperate no manual do transportador oriental. Este repatriamento maciço foi seguido no fim de dezembro pelo retorno de 500.000 mais de Tanzânia, outra vez em uma onda enorme, espontânea.

Justiça, reconciliation, reformas

Poster of fugitives wanted for genocide in Rwanda
O poster dos fugitives quis para o genocide em Rwanda

Com o retorno dos refugees, o governo começou as experimentações long-awaited do genocide, que começaram fora a um começo incerto nos dias de fechamento de 1996 e avançaram para a frente em 1997. Em 2001, o governo começou a execução de um sistema participatory da justiça, sabida como o "gacaca" a fim dirigir-se à reserva enorme dos casos. Entrementes, as nações unidas ajustaram-se acima , baseado atualmente dentro Arusha, Tanzânia. O tribunal unido das nações tem membros do nível elevado do excesso do jurisdição do governo e das forças armadas, quando Rwanda for responsável para prosecuting líderes de um nível mais baixo e povos locais. As tensões levantaram-se entre Rwanda e o uso unido do excesso das nações da penalidade de morte.

Despite substantial international assistance and political reforms — including Rwanda's first ever local elections held in March 1999 - o país continua a esforçar-se para impulsionar o investimento e a saída agricultural e para promover o reconciliation. Uma série de deslocamentos maciços da população, de uma revolta extremist nagging do hutu, e da participação rwandan no Primeiramente e Em segundo Guerras De Congo no neighbouring continua a hinder esforços de Rwanda.

Em , , a organização do sucessor ao Interahamwe, Forças democráticas para o liberation de Rwanda (FDLR), finalmente condemned o genocide de 1994 e anunciado que punham uma extremidade a sua guerra civil.

Veja também

  • Hotel Rwanda () aproximadamente Paul Rusesabagina, que funcionou um hotel de Kigali que se transformasse um sanctuary para os tutsis e os hutus moderados que fogem o genocide)
  • Às vezes Em Abril () previamente, durante e após o genocide com a história de uma família intermarried do Hutu-hutu-Tutsi.
  • por Philip Gourevitch
  • "Gacaca, vivendo junto outra vez em Rwanda?"(2002) e" em Rwanda que nós dizemos... A família que não fala dados "(2004) dois documentaries no processo da justiça e do reconstruction perto Anne Aghion

Anote que os trabalhos de referência podem ser encontrados no Bibliografia do Genocide rwandan.

 

  > Português > en.wikipedia.org (Traduzido por computador no português)